fbpx

Aplicação da AstraZeneca em gestantes é suspensa pela Anvisa na noite desta segunda-feira, 10

Foto: REUTERS/Hannibal Hanschke

Por João Pedro Gomes

Foi recomendado pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) na noite desta segunda-feira, 10, a suspensão imediata da aplicação da AstraZeneca/Fiocruz em gestantes. A vacina contra a COVID-19 vinha sendo utilizada em alguns estados, em grávidas e gestantes com comorbidade. 

Agora, apenas a CoronaVac e a Pfizer podem ser aplicadas em gestantes. Apesar da recomendação, a Anvisa afirma que não há relatos de evento algum que seja adverso no Brasil. Grávidas e mulheres no período pós-parto foram incluídas pelo Ministério da Saúde no plano de imunização em março. 

A nota emitida pelo órgão apenas sugere que a orientação que “seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) a indicação da bula da vacina AstraZeneca e que a orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas COVID em uso no país”. 

Ainda é ressaltado no texto que “o uso de vacinas em situações não previstas na bula só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios para a paciente”.

De acordo com o Integra Saúde Tocantins, 406.248 doses (de vacinas como Pfizer, AstraZeneca e CoronaVac) foram distribuídas pelo estado, sendo que 194.264 pessoas receberam a 1ª dose e 110.045 a segunda, o que totaliza 12,35% da população tocantinense imunizada.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *