fbpx

Atenção dobrada nesta época do ano: ataques de escorpiões e aranhas aumentam com clima seco e quente

Foto: Divulgação/Internet

Por João Pedro Gomes

Nesta época do ano é comum a aparição de animais peçonhentos em residências. O clima quente e seco é favorável para que escorpiões, aranhas, lacraias e outros comecem a invadir casas. A Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses de Palmas (UVCZ) já registrou, de janeiro a agosto deste ano, 233 casos de acidentes envolvendo animais peçonhentos na Capital.

Com o fim de evitar mais incidentes, a Unidade de Vigilância orientou a PMW sobre algumas cautelas que precisam de atenção. Segundo o órgão, é importante que se observe diariamente a residência em que se vive, e manter sempre os quintais e terrenos baldios limpos, para que não se acumulem lixos domésticos, entulhos e outros. Aparar a grama dos jardins e fazer o recolhimento das folhas caídas também é uma instrução importante.

Anderson Brito Soares, biólogo da UVCZ, orienta para casos de ataques: “No Brasil existem quatro espécies de escorpiões que podem ser fatais, principalmente em crianças e idosos, por isso é importante ficar atento. Os escorpiões são animais peçonhentos que vivem em ambientes escuros e úmidos e as altas temperaturas registradas em Palmas aumentam o aparecimento deles. Em adultos, a picada provoca muita dor, mas em 98% dos casos o controle pode ser feito por anestésicos ou analgésicos. Já crianças ou adolescentes de até 15 anos são bem mais suscetíveis ao veneno tanto da cobra quanto do escorpião e da aranha”.

Fiscais atuando no controle de bichos peçonhentos. Imagem: Raiza Milhomem/Prefeitura de Palmas

No caso de picadas de cobras, Anderson explicou que é necessário lavar o local com água e sabão, sem aplicar nenhuma medicação ou produto. Já com ferroadas de escorpião, a medida inicial é colocar compressa de água morna sobre a ferida; e com ataque de aranhas ou queimaduras de taturanas, não se deve mexer no ferimento, a busca por atendimento médico urgente deve ser prioridade. Vale reiterar que essas são apenas medidas iniciais, em todos os casos é de extrema urgência que se busque ajuda médica.

Caso haja surgimento de escorpiões, o morador deve contatar a UVCZ pelo telefone (63) 3212-7918. Os agentes farão uma vistoria e coletarão os animais. 

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *