fbpx

Aumento de casos da chikungunya traz alerta para prevenção

Capital registrou 873 casos suspeitos da doença e confirmou 185 do início do ano até o último dia 09. Crédito/Foto: Prefeitura de Palmas.

Do início deste ano até o último dia 09, a Capital notificou 873 casos  de suspeita de chikungunya, sendo que 185 foram confirmados. No mesmo período do ano passado, o município somava apenas oito casos registrados. 

Os casos da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti foram divulgados pela Prefeitura por meio do Boletim Semanal das Arboviroses. Transmitidas pelo mesmo vetor, a doença tem sintomas semelhantes à dengue e zika. De acordo com informações divulgadas pela pasta, a chikungunya também pode ser propagada pelo Aedes albopictus, outra espécie de mosquito. 

Enquanto a dengue ocasiona dores em todo corpo, a chikungunya se destaca por dores e inchaço nas articulações, que podem ter evolução crônica. Ambas ocasionam manchas vermelhas pelo corpo e coceira.

Já a zika, na maioria dos casos, a doença apresenta uma evolução benigna, tendo como sintomas a vermelhidão nos olhos, coceira, febre baixa, dor de cabeça, dores leves nas articulações e manchas vermelhas na pele.

Prevenção 

Segundo a Prefeitura, o cuidado contra as enfermidades segue o mesmo: separar 10 minutos por semana para vistoriar o quintal, recolher tudo aquilo que possa acumular água para romper o ciclo de vida do mosquito. Paralelo ao cuidado em casa. 

Além disso,  a população pode adquirir os hábitos de  lavar por dentro com escova e sabão os utensílios usados para guardar água em casa, como jarras, garrafas, potes, baldes e etc; Embalar para recolhimento todas as garrafas pet e de vidro vazias que não for usar. As garrafas de vidro não descartadas devem ser guardadas de boca para baixo ou em local coberto; Se tiver vasos de plantas aquáticas, trocar a água e lavar principalmente por dentro com escova, água e sabão pelo menos uma vez por semana; Jogar no lixo todo objeto que possa acumular água, como embalagens usadas, potes, latas, copos, garrafas vazias etc; Remover folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas; Manter a caixa d’água sempre fechada com tampas adequadas; Colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira bem fechada. Não jogar em terreno baldio; Não deixar a água da chuva acumulada.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *