fbpx

Caminhoneiros apoiadores de Bolsonaro bloqueiam trechos de rodovias no Tocantins, nesta quinta-feira (09)

Imagem: Reprodução

Por João Pedro Gomes

Caminhoneiros estão bloqueando três trechos de rodovias no Tocantins nesta quinta-feira, 09: dois pontos na BR-153, em Araguaína e Gurupi, e um terceiro na TO-080, no distrito de Luzimangues, Porto Nacional. Um quarto fechamento chegou a acontecer, desta vez na BR-153, em Paraíso do Tocantins, mas foi encerrado por volta das 10h40 ainda nesta quinta-feira.

A ação dos caminhoneiros está sendo realizada após os protestos favoráveis ao governo neste 7 de setembro, que pediam a volta da ditadura e o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF), dentre outras inconstitucionalidades. Os atos antidemocráticos ocorreram pelo país inteiro e reverberaram no protesto dos motoristas.

Os manifestantes estão impedindo a passagem de caminhões que não tenham itens perecíveis ou cargas vivas. O foco são os caminhões, portanto, os outros tipos de veículo também podem passar. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está tentando conversar com os manifestantes para que as vias sejam desbloqueadas totalmente. A Polícia Militar também está presente nos locais para monitorar a situação.

Confusão nos postos

Após o início dos bloqueios, nesta quarta-feira (08), os postos de combustíveis de todo o Tocantins registraram uma enorme busca da população por abastecimento, principalmente em Palmas, Araguaína e Gurupi. “Eu contei, havia mais de 70 carros”, relatou a empresária Gabriela Araújo, 23.

Nas redes sociais circulam diversos vídeos mostrando filas quilométricas de carros e motos aguardando para abastecer os tanques. “Essa corrida desesperada é que pode levar à falta de combustível. No anseio de se precaver, a sociedade causa o desabastecimento. Se a população se acalmar e ficar tranquila, isso vai ser resolvido em pouco tempo. Não há necessidade de pânico”, informou o presidente do sindicato dos postos de combustíveis do Tocantins, Wilber Silvano.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *