fbpx

Cobrança de propina para liberação de cargas de bovinos é investigada pela Polícia Civil, em Palmas

Imagem: Polícia Civil do Tocantins

Por João Pedro Gomes

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Divisão Especializada de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DRCOT-Palmas), em conjunto com a Divisão Especializada de Repressão à Corrupção (Decor-Palmas) deflagrou a Operação Sobre-Era para cumprir três mandados de busca, apreensão e um de suspensão do exercício de função pública em Goiânia e Porangatu, no estado de Goiás. A ação teve início após denúncias sobre cobranças de valores para liberação de cargas de bovinos nos postos de fiscalização, na última quarta-feira, 28.

Segundo o delegado-chefe da DRCOT Palmas, Vinícius Mendes de Oliveira, um servidor da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Adapec-TO), responsável pela fiscalização, estaria envolvido no crime, realizando, com outras pessoas, cobranças de valores para liberação de cargas de bovinos em pontos de fiscalização no estado.

Um dos investigados até chegou a alegar que na ocasião, os gados transportados tinham idade superior ao que estava predescrito na guia de trânsito animal, o que afeta, de maneira direta, a pauta fiscal. O delegado da DRCOT Palmas, Jeter Aires, explica que, assim, os caminhões com as cargas eram mantidos no posto, quando era cobrada a propina. O servidor responsável não foi localizado. 

Foi informado que outros nomes surgiram durante as investigações, os quais devem ser alvos de medidas judiciais. Além disso, o DRCOT Palmas afirma que as investigações devem continuar. A operação recebeu o nome Sobre-Era por conta do modus operandi utilizado para receber a propina.


Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *