fbpx

Conselho de Ética aprova a cassação do mandato da deputada Flordelis, acusada de mandar matar o marido em 2019

Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Por João Pedro Gomes

O Conselho de Ética da Câmara aprovou a cassação do mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ) nesta terça-feira (08), com apenas um voto contra e 16 a favor. A cantora é suspeita de ser mandante do assassinato do marido, pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019. 

O relatório apresentado pelo relator e deputado Alexandre Leite (DEM-SP) na última semana, foi aprovado pelo conselho, e apenas o deputado Márcio Labre (PSL-RJ) foi a favor da pastora acusada de homicídio triplamente qualificado. A parlamentar não pode ser presa por possuir imunidade parlamentar, que só permite prisão mediante flagrantes de crimes inafiançáveis.

A decisão final irá depender do plenário da Câmara, sendo necessária a anuência da maioria absoluta dos deputados, ou seja, ao menos 257 votos, mas ainda não há data para a votação. Flordelis ainda pode recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. 

A parlamentar voltou a se declarar inocente das acusações e solicitou aos deputados que aguardem a conclusão do julgamento da justiça, antes de tomarem alguma decisão: “Mesmo que não acreditem na minha inocência, peço que parem de me aviltar e me permitam um julgamento digno”, disse.

Flordelis responde por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), uso de documento falso, tentativa de homicídio e associação criminosa. “Eu não matei meu marido, eu não matei Anderson do Carmo. Não mandei matar meu marido, não avalizei nenhum dos meus filhos para praticar tal crime”, se defendeu.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *