fbpx

Criador dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas morre por Covid-19 durante o fim de semana, no Distrito Federal

Imagem: Divulgação

Por João Pedro Gomes

Carlos Terena, criador e coordenador-geral dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, faleceu aos 66 anos no último sábado (12), por complicações provocadas pela Covid-19. Ele estava internado há 17 dias em um hospital particular de Ceilândia, no Distrito Federal. O seu velório está previsto para começar às 12h desta segunda-feira (14), e o sepultamento às 14h, no Cemitério da Esperança, no DF. 

O líder era indígena da etnia Terena, natural de Aquidauana (MS). Ele foi o criador do Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas (Conplei) e era servidor aposentado da Fundação Nacional do Índio (Funai). A Conplei lamentou a morte dele por meio de nota: “Carlos Terena será sempre lembrado por sua coragem, intrepidez, inteligência e sabedoria ancestral […] Deixa um grande legado de história e companheirismo”, homenagearam. 

A filha de Carlos, Melissa Môngé, afirma que Marcos Terena, irmão de Carlos, dará continuidade aos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas: “Meu pai veio muito cedo para Brasília e trouxe essa questão do resgate cultural, dar mais visibilidade às pautas indígenas. Veio por causa de um sonho, e reuniu os povos do mundo inteiro […] a ideia é que a gente continue dando andamento a isso, junto com o Marcos Terena. A gente tem uma perspectiva de que a próxima edição aconteça em 2022”, relatou.

Imagem: Conplei/Divulgação

A primeira e última edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas da história aconteceu na Arena Verde, em Palmas. Foram 24 etnias brasileiras e 23 delegações internacionais competindo em diversas categorias. 

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *