fbpx

Cuidados no período de baixa umidade

Imagem: Divulgação/Internet

Por Luiz Filho

Dizer que o Tocantins é uma terra quente, já é redundância, mas durante um período específico do ano além do calor, o estado ainda passa por uma forte onda de baixa umidade, causando problemas respiratórios, que provoca o agravamento de doenças como rinite, bronquite e asma, ressecamento da pele, ardência dos olhos, irritação na garganta, e até mesmo maior probabilidade de ocorrência de problemas cardíacos, além do aumento da incidência de acidentes vasculares cerebrais (AVC).

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), tem registrado na região do Tocantins número abaixo do recomendado de umidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o índice adequado de umidade do ar deve ficar entre 50% e 80%. Quando está abaixo de 30%, já apresenta risco à saúde, bem como também focos de incêndios florestais. 

No dia 05 de setembro, o INMET, divulgou o informativo de alerta amarelo, com grau de severidade de “perigo pontencial”, avisando que o estado estava com grandes zonas em que a umidade estava entre 30% e 20%. Essa área chegava até altura de Miracema do Tocantins, seguindo até Recursolândia, na altura do mapa do estado. 

Já um outro aviso, esse de alerta laranja, do mesmo dia, informava, que até a altura de Palmas na altura do mapa, a umidade estava oscilando entre 20% e 12%. O alerta laranja tem um grau de severidade de nível “perigo”, isso quer dizer que além dos riscos para a saúde há fortes chances de incêndios florestais. 

Em cenários dos dois alertas, tanto o amarelo quanto o laranja, o INMET recomenda: beber bastante líquido, as atividades físicas não são aconselhadas ou recomendadas, evitar ao máximo a exposição ao sol nas horas mais quentes do dia, uso de hidratante e umidificar os ambientes. 

Thais Ribeiro, diz que tem sido uma época difícil para ela, principalmente para dormir, que é o momento de mais calor. “Eu trabalho no ar-condicionado, e tenho em casa também, porém é justamente ele [ar-condicionado] que acaba deixando o ar ainda mais seco. Minha solução foi comprar dois umidificadores de ar. Deixo um na mesa do meu trabalho, e outro próximo da minha cama. Isso ajudou muito. Meu nariz não arde tanto como antes, e notei até mesmo um melhoramento no ressecamento dos meus lábios”. 

É também neste mesmo período que surgem diversos focos de queimadas, que unida já a baixa umidade, que atinge diretamente a imunidade do corpo humano, que em um cenário como o que estamos vivendo, de pandemia de Covid-19, é essencial estar atento a esse fator.

Foto – João Guilherme Lobasz

De acordo com o último levantamento, 16 de agosto, divulgado pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), o Tocantins contabiliza mais de 5 mil focos de queimadas. O próximo levantamento, que deve sair ainda em setembro, provavelmente mostrará números bem maiores, visto que os dados anteriores apontavam que o estado teve 3.683 focos entre janeiro até  25 de julho. Ou seja, mais de mil focos de queimadas ocorreram entre 26 de julho e 16 de agosto.

Márcia Freitas sofre por tabela, apesar de ter sintomas como ardência nos olhos, tosse seca, e pele extremamente ressecada, ao ponto dos lábios sangrarem, sua preocupação maior são os filhos de dois e cinco anos. “É uma rotina complicada, pois eu já sou adulta, consigo entender o que sinto, eles não conseguem explicar direito o que sentem, então quando menos espero, é o nariz sangrando, choro incessante pois os olhos estão ardendo, é falta de ar, tudo isso ao mesmo tempo. Sem contar que aqui na 504 sul, nós sofremos muito com a fumaça de queimadas que vem do Parque Cesamar e da serra. Sem contar aquele incêndio no pátio de carros, que foi muito pior, pois tinha borracha e objetos tóxicos, então a fumaça era muito mais perigosa e densa”. 

Mas afinal, quais cuidados tomar com a saúde nesse período? Acompanhe abaixo algumas dicas de como se prevenir e deixar o ambiente mais confortável nessa época. 

Garrafa de água é sua melhor amiga: não é exagero dizer “mantenha-se hidradato”. Beber água nesse período de seca, mesmo quando não está com sede, é essencial! Alimentação também é uma grande aliada, opte por alimentos mais leves e ricos em água, como é o caso de frutas e verduras, como é o caso da melancia, abobrinha, laranja, entre outros. Evitar comidas salgadas ou condimentadas, esses alimentos podem causar retenção de líquidos e aumento da pressão arterial, prejudicando ainda mais a desidratação corporal. 

Umidificar os ambientes é fundamental. Existem diversas formas de fazer isso: espalhe toalhas molhadas pelo quarto ou baldes e bacias cheios de água. Mas a melhor e eficiente opção é o uso de umidificadores de ar, além de evitar o uso de ar-condicionado, que tende a deixar o ar ainda mais seco. 

Para cuidados com as vias aéreas, que nesse período é bem comum sangrarem, fazer uma lavagem do nariz com soro fisiológico, algumas vezes ao dia, ou no ato que sentir o desconforto, já ajuda bastante, além de prevenir congestão nasal e doenças respiratórias. É indicado também, o uso de inaladores e nebulizadores, somente com soro fisiológico, que é bastante eficiente para umidificação das vias aéreas. 

Para a pele, a hidratação é fundamental com produtos recomendados. Por exemplo, para áreas mais espessas como cotovelo, joelho, calcanhar o mais indicado é o hidratante do tipo creme, que são mais ricos em óleos. Já para o rosto e pessoas com pele oleosa, o gel hidratante é o melhor, uma vez que não vai deixar o local aplicado gordurento. Já para toda região do corpo, a loção hidratante é a melhor opção, uma vez que sua base é a água. Já para os lábios rachados e ressecados, a tradicional manteiga de cacau, ainda é uma ótima solução, mas também é possível utilizar hidratante labial ou os famigerados balms. 

É indicado ainda evitar ambientes fechados, sem qualquer ventilação. Além disso, evitar a exposição ao sol e exercícios físicos entre 10h e 16h em locais abertos e próximo a centros urbanos, onde a poluição do ar é maior. É nessa época que a poeira se acumula mais, então durante a faxina, evite usar panos secos ou qualquer prática que possa levantar poeira. 

Evite o uso de tapetes, carpetes, cortinas, e até mesmo brinquedos de pelúcias, pois acumulam bastante pó, provocando crises alérgicas. É de extrema importância a troca das roupas de cama e toalhas de banho com maior frequência, uma vez que os ácaros se alimentam de restos de pele e cabelos humanos, eles são alguns dos causadores de alergias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *