fbpx

ENEM 2020 bate recorde de abstenções

O presidente do Inep, Alexandre Lopes e o ministro da Educação, Milton Ribeiro. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Por Luiz Filho

Ocorreu no último domingo, 17 de janeiro, mesmo após muitos pedidos de adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Esta edição teve a maior marca de abstenções. Foram um total de 5.523.029 inscritos para a versão impressa do ENEM, porém 2.842.332 não compareceram para realizar as provas.

Essa é uma marca recorde de abstenções ao ENEM. 51,5% não realizaram a prova. No ano de 2019, o número foi de 23%. Já comparado ao recorde anterior de faltas às provas, em 2009, 37% dos inscritos não compareceram para fazer a prova. 2.967 inscritos foram eliminados por não respeitarem as regras do ENEM, como por exemplo: não cumprirem as medidas de segurança para evitar o contágio do coronavírus.

Em coletiva, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, informou que esses números recordes são motivados pelo medo da pandemia e também a campanhas contrárias à realização do exame, porém ele considera que aplicação das provas como vitoriosa, uma vez que foi possível fazê-la durante uma pandemia.

Especialmente nesta edição, inscritos que apresentassem sintomas de covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas não deveriam comparecer para realizar a prova. Até o momento, 10.171 pessoas pediram a reaplicação do exame. Porém até o momento o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aceitou somente o pedido de 8.180 inscritos.

Para solicitar a reaplicação das provas, é necessário apresentar laudo médico e documentos comprobatórios entre os dias 25 e 29 de janeiro. Os participantes que apresentarem sintomas, no intervalo de tempo até data da segunda fase das provas, também não devem comparecer para fazer as provas, mesmo que tenham feitos a da primeira fase. De acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes, neste caso o inscrito deve notificar o Inep.

Alguns locais terão direito a reaplicação extraordinária, como é o caso de todo o estado do Amazonas, 2.863 inscritos do município de Rolim de Moura (RO) e 969 em Espigão D’Oeste (RO), por conta dos impactos causados pela pandemia.

Já em outros 11 locais de provas, inscritos relataram que mesmo ao entrar nos locais da prova, foram impedidos de fazer o exame, devido à superlotação da sala, uma vez que era preciso respeitar o distanciamento social. Os casos ainda estão sendo investigados, porém esses participantes também terão o direito a fazer a prova em outra data. Até agora os casos já foram relatados nas cidades de Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Londrina (PR), Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS) e Canoas (RS).

A segunda fase ocorrerá no próximo domingo, 24 de janeiro. É importante frisar, que além da versão impressa, este ano o ENEM também terá uma versão online, que será aplicada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Abaixo você pode conferir a entrevista na íntegra.

One thought on “ENEM 2020 bate recorde de abstenções

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *