fbpx

Gestante dá à luz no chão no Hospital Dona Regina, na madrugada desta segunda-feira, 22

Imagem: André Araújo/Governo do Tocantins

Por João Pedro Gomes

Durante a madrugada desta segunda-feira, 22, uma mulher entrou em trabalho de parto e deu à luz no chão do Hospital Dona Regina, maternidade do Estado. Parentes denunciaram o fato, que ocorreu em decorrência da falta de leitos na unidade hospitalar. 

A superlotação da maior maternidade do Tocantins foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado (SES). A secretaria afirma, ainda, que tem trabalhado para atender a demanda que tem surgido e, sobre o caso específico, a informação divulgada por nota é que houve um “episódio de parto normal, com rápida evolução”. De acordo com o portal Integra Saúde, a taxa de ocupação da maternidade é de 106%, e atualmente constam 131 internações no local, sendo que a mesma só tem capacidade para 124.

O acompanhante que realizou a denúncia relatou o caso com detalhes: “As enfermeiras pegaram um pano, botaram no chão, colocaram a mulher no chão e mandaram ela fazer força para a neném sair. A mulher teve a bebê dela no chão aqui do Dona Regina”, […] “Ela ficou uma meia hora gritando, entrando em trabalho de parto em uma cadeira, sentada e sozinha. Depois de uma meia hora que ela estava gritando que veio enfermeira ajudar a moça a ter a bebê”, finalizou.

Em nota, a SES afirmou que ninguém fica sem atendimento na maternidade, apesar da superlotação. Reitera também que, às vezes, ocorrem casos de gestantes que já chegam no Hospital com grande dilatação e no período final do parto, quase na expulsão do bebê. Além disso, afirma que está buscando por soluções para que casos como este não se repitam. “A SES esclarece que houve episódio de parto normal com rápida evolução, que foi realizado com o apoio da equipe do hospital. A SES lamenta que situações como esta sejam expostas por leigos, sem a devida explicação do contexto geral do fato ocorrido”, afirma.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *