fbpx

Indígena da etnia Krahô é condenado a 11 anos e 8 meses de prisão por homicídio qualificado

Segundo o Ministério Público, réu matou a vítima por asfixia. Crédito: divulgação.

Por Gabriela Santos 

A Justiça condenou a 11 anos e oito meses de reclusão o indígena Maurílio Cawar Krahô pelo assassinato de Hilário Nhúytin Krahô. Segundo informações divulgadas pelo Ministério Público do Tocantins, o crime ocorreu em novembro de 2013, em Itacajá, mas em razão da transferência do foro, o julgamento foi realizado em Guaraí.

Segundo denúncia do Ministério Público, Maurílio matou Hilário asfixiado e a motivação teria sido porque ele não aceitava o fato de sua mulher ter se casado com a vítima enquanto ele estava preso, também pelo assassinato de outro indígena.

A pasta informou que em atuação em plenário, o promotor de Justiça Adriano Zizza Romero sustentou a tese de homicídio qualificado por utilização de meio cruel (asfixia), reconhecida pelo conselho de sentença. 

De acordo com o MPTO, Maurílio encontra-se preso na cadeia pública de Araguacema.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *