fbpx

Mauro Carlesse sanciona Lei que autoriza concessão do Jalapão e outros Parques Estaduais; Internautas se posicionam contra

Imagem: Esequias Araújo/Governo do Tocantins

Por João Pedro Gomes

Foi sancionada pelo governador Mauro Carlesse (PSL) a Lei nº 3.816, que autoriza a concessão das Unidades de Conservação do Estado do Tocantins, o que inclui os Parques Estaduais do Jalapão, Cantão, Lajeado e o Monumento Natural das Árvores Fossilizadas. De acordo com a Lei, cabe ao responsável do âmbito privado a guarda, proteção e conservação da natureza, enquanto durar a concessão. Ainda de acordo com o texto, a empresa deve também arcar com os custos necessários sem direito a ressarcimentos. 

Em nota, o governador defendeu a concessão: “Grande parte dos atrativos turísticos do Jalapão, por exemplo, já ficam em propriedades privadas e os proprietários dessas áreas serão beneficiados porque terão ainda mais visitantes. A partir de agora, o Governo é autorizado a conceder os serviços de turismo apenas da área do Parque Estadual e as concessões vão acontecer apenas em uma parte dessa área. Melhorando a infraestrutura dos atrativos turísticos, mais pessoas terão acesso a eles, fomentando a economia dos municípios e gerando emprego e renda”, argumentou.

A Lei foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Tocantins (Aleto) na última terça-feira (24) publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) ainda nesta quarta-feira (25). O governador finalizou seu argumento afirmando que: “O planejamento que temos tanto para o Jalapão quanto para os demais parques que estão inclusos nessa Lei é de promover o desenvolvimento sustentável ao mesmo tempo em que melhoramos a vida das comunidades locais”.

Falta de diálogo e revolta nas redes sociais

Na semana passada (19), ocorreu uma audiência pública na Assembleia Legislativa para debater sobre a possível privatização dos Parques Estaduais. O momento foi marcado por discussões calorosas. O deputado Professor Júnior Geo (PROS) cobrou por transparência no processo, o qual ele julga como obscuro: “Quem vai ganhar com essa privatização? É isso mesmo que os jalapeiros querem e precisam? Precisamos conhecer esse plano e suas particularidades para analisar o conteúdo para discutirmos com os verdadeiros impactados que é a população do Jalapão”, discursou.

Alguns integrantes da comunidade se manifestaram contra o projeto. Em sua fala, a quilombola Elzita Evangelista desabafou sobre a situação dos moradores da comunidade Rios: “O que precisamos é de estrada para trafegar. Enfrentamos nove horas de viagem de puro buraco para chegar aqui e isso é muito sofrido para todos nós […] É uma concessão desrespeitosa, sem transparência e que vai explorar ainda mais as comunidades quilombolas e nós queremos é estrada e infraestrutura”. 

Já a presidente da Associação das Artesãs do Mumbuca, Railane Ribeiro, criticou a falta de diálogo com os moradores da região: “Por que não foram até a nossa comunidade perguntar pra gente o que a gente acha disso? Quem vai ser impactado não são vocês, somos nós […] E eu fico indignada com a falta de respeito. Somos esquecidos”, criticou, ressaltando também a preocupação com o meio-ambiente.

Em defesa do governo, Claudinei Quaresmin afirmou que o objetivo da concessão é atrair turistas e desenvolver a região, e pontuou também que as empresas que eventualmente forem contratadas deverão investir nos atrativos, que retornarão posteriormente aos tocantinenses. Uma nova sessão para analisar o projeto foi convocada para a última terça-feira do mês, 31.

Nas redes sociais, diversos internautas se mostraram contrários à privatização, inclusive o ator e humorista tocantinense Paulo Vieira. “O Tocantins é um estado que adoece muito a gente que faz política. Porque política é diálogo, mas não existe diálogo no Tocantins, então muitas vezes é impossível fazer política. A mobilização não faz efeito porque pouco importa a opinião pública, é a compra de votos que manda”, escreveu em sua conta pessoal. 

Em outra publicação, o humorista escreveu: “Os deputados aprovaram a “venda” do Jalapão sem nenhum diálogo (mesmo sabendo que o povo do jalapão e do TO é contra), com um risinho no canto da boca de quem diz “meus votos eu compro”. A impotência que a gente sente é gigante… Muito triste. Muito triste. Muito triste”. “Não adiantou, tá gente? OS DEPUTADOS ESTADUAIS PASSARAM POR CIMA DO POVO. Muito triste”, complementou em outro post. 

https://twitter.com/KatiaAbreu/status/1430536726729134084

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *