fbpx

Mercado de trabalho durante a pandemia: como está o índice de desemprego no Tocantins?

Imagem: Agencia Brasil

Por João Pedro Gomes

O novo coronavírus impactou o mercado de trabalho de uma maneira inacreditável. Diversas pessoas que lideram famílias, sustentam parentes ou até  mesmo vivem sozinhas perderam seus empregos e buscam as mais diversas formas de se sustentar. Longe de ser uma tentativa de romantização da situação em que esses cidadãos buscam saídas para conseguirem sobreviver, é importante analisar a crise do mercado de trabalho e buscar formas de conseguir algo para garantir o pão na mesa pela manhã. 

Dados do mês de dezembro do ano passado, fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), informavam que o Brasil, em novembro de 2020, fechava o mês com um contingente de 14 milhões de desempregados no Brasil: dado que aumentou comparado a outubro do mesmo ano, onde 13,8% de milhões de cidadãos estavam desocupados. O número é ainda mais assustador se o parâmetro de meses é aumentado, e em maio do mesmo ano, 10 milhões de pessoas faziam parte do índice de desemprego.

Todavia, o Tocantins não se saiu tão mal, num panorama geral: além de ter sido um dos sete estados em todo o país a não ter a taxa mais alta de desocupação da história durante o último ano, o estado apresentou um índice de 11,6% como média de desemprego, número menor do que a média nacional, que foi de 13,5%. O número representa um índice neutro, nem bom e nem ruim. A maior taxa ficou com a Bahia, que teve 19,8%; já Santa Catarina se saiu melhor e teve a menor taxa, com 6,1%.

Outro dado divulgado é que, entre os trabalhadores tocantinenses, 28,8% trabalham por conta própria e 58,4% têm carteira assinada; enquanto a taxa de informalidade no estado atinge a marca de 45,2%. É claro que, por se tratar de um momento instável, alguns desses índices podem ter sofrido alterações, por isso, a Revista PMW Digital realizou uma entrevista com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, para verificar não apenas a situação do desemprego, mas como os desocupados podem melhorar sua situação nesta pandemia e arranjar um trabalho.

PMW: Como anda a busca de emprego no Tocantins? Há algum balanço oficial de quantas pessoas estão em busca de um emprego?

SETAS: A população desocupada hoje no Tocantins é de 75.000 (pessoas). Isso equivale a 10,4% da população do estado, que, ao todo, é de 1.583.000 cidadãos. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD, e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, referente ao 4° trimestre deste ano.

PMW: A oferta de vagas sofreu queda no estado durante a pandemia de COVID-19?

SETAS: Algumas seleções que seriam realizadas no SINE, assim como ofertas de vagas, foram suspensas. Em contrapartida, outras vagas surgem; essa é a dinâmica do mercado.

PMW: Há algum balanço do número de pessoas que entrou para o índice de desocupação desde o início da pandemia de COVID-19?

SETAS: Não temos um balanço específico que dimensione os reflexos da pandemia, mas ao observar os dados da PNAD 2020 é possível ter uma noção da movimentação no período.

1º Trimestre 2020 (janeiro, fevereiro e março) 

População Desocupada = 81.000 pessoas;

2º Trimestre 2020 (abril, maio e junho) 

População Desocupada = 86.000;

3º Trimestre 2020 (julho, agosto e setembro) 

População Desocupada = 82.000;

4 º Trimestre 2020 (outubro, novembro e dezembro) 

População Desocupada = 75.000.

PMW: Como a SETAS tem atuado no atual cenário? O atendimento do SINE é virtual?

SETAS: Sim. O Sine TO oferece mais de 300 vagas diárias em seu painel. Atendemos por alguns meios, como:

Vale informar que as mensagens enviadas a esses contatos devem conter nome completo do interessado, número do CPF e nome da mãe.

  • Telefone convencional: 
  • Araguaína – 3414-3634 (8h às 18h);
  • Araguatins – 3474-1100 (8h às 14h);
  • Paraíso – 3602-3340 (8h às 14h);
  • Porto Nacional – 3363-2717 (8h às 14h).

PMW:  Quais dicas são recomendadas para quem busca uma vaga de emprego?

SETAS: 1ª: Verificar se o cadastro junto ao órgão está atualizado com a opção profissional de acordo com a vaga que deseja concorrer.

2ª: Definir uma área de atuação e buscar se capacitar dentro daquele universo profissional.

3ª Acreditar no seu potencial e que apesar das mudanças novas oportunidades sempre surgem e podemos estar preparados para elas.

PMW: Onde as pessoas têm pecado na hora de se candidatar a uma vaga?

SETAS: Não ter a qualificação devida para o cargo oferecido.

PMW: Existe alguma capacitação recomendada? Por onde é possível alcançá-la? 

SETAS: A SETAS está construindo uma  plataforma digital para disponibilizar cursos on-line para todo o estado. Ainda não temos uma data definida para o lançamento, mas em breve a população contará com mais esse recurso.

PMW: Como funciona a captação de vagas? Como um empregador consegue anunciar uma vaga?

SETAS: Captação de vagas é através da administração das vagas do sistema, que pode ser pelo telefone, que também é Whatsapp, (63) 3218-1901.

PMW: Caso uma pessoa seja demitida atualmente, como consegue dar entrada neste auxílio?

SETAS: Sim. Pelo app ‘Carteira de trabalho Digital’ ou plataforma ‘Gov. Br’ e também pelo nosso e-mail disponível em cada unidade.

https://setas.to.gov.br/noticia/2020/5/14/governo-cria-novo-canal-para-solucionar-divergencias-no-aplicativo-do-seguro—desemprego/.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *