fbpx

MPTO realiza 2ª etapa da campanha de doação de sangue em janeiro nesta sexta-feira, 29

Doação de Sangue
Foto: André Araújo/Governo do Tocantins

Por Ivan Trindade


A campanha “Parceiros Pela Vida”, coordenada pelo Ministério Público do Tocantins (MPE), realizará uma terceira ação nesta sexta-feira, 29. Trata-se de um momento no qual mais 33 servidores do Ministério irão até a unidade da hemorrede, que estará no estacionamento do órgão, das 13h às 17h, para prosseguir com a campanha de doação de sangue e de cadastro doador de medula óssea.

A campanha que já contabiliza três ações, entre os meses de dezembro e janeiro, conta com a parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Receita Federal, Justiça Federal, Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e  a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Doações

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a Hemorrede Tocantins registrou uma queda de mais de 30% nas doações de sangue. Pode ajudar a manter os estoques que atendem a todos os hospitais (públicos e privados) do Estado qualquer pessoa com idade entre 16 e 69 anos de idade (os menores de 18 anos devem estar acompanhados por um responsável), que esteja em boas condições de saúde. Na oportunidade da doação, deve-se apresentar documento oficial com foto.

Como doar

Para ser um doador de sangue, é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos, ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas, estar bem alimentado e apresentar documento original com foto recente.

A doação de sangue pode ser feita a cada dois meses por homens e a cada três meses por mulheres e pode salvar até quatro vidas. Conforme norma do Ministério da Saúde (MS), os fatores que impedem temporariamente a doação são: resfriado, gravidez, parto recente (90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana), amamentação, ingestão de bebidas alcoólicas durante as 12 horas antes da doação, tatuagem feita nos últimos 12 meses, situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis, febre amarela recente, vacina para febre amarela e viagens para países com risco de doenças transmissíveis.

Quanto aos impedimentos definitivos para a doação são: Hepatite após os 11 anos de idade, uso de drogas injetáveis, evidência clínica ou laboratorial de doenças transmissíveis pelo sangue, como hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV 1 e 2, doença de Chagas e Malária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *