fbpx

Naturatins passa a utilizar plataforma que auxiliará nas ações de combate a queimadas e incêndios

Foto: Divulgação/Internet

Por Ivan Trindade



Agora o Naturatins, Instituto Natureza do Tocantins utiliza a plataforma Projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo do Brasil (MAPBiomas). A medida garantirá ao órgão mais facilidade para a realização de ações de monitoramento para prevenção e combate ao desmatamento e incêndios florestais no Estado do Tocantins. Segundo o Naturatins, o objetivo é gerar uma série histórica de mapas anuais de cobertura e uso da terra em todo o território nacional.

Na prática, a plataforma MAPBiomas envolve uma rede colaborativa com especialistas nos biomas, usos da terra, sensoriamento remoto, sistema de informações gerenciais e ciências da computação que utiliza processamento em nuvem e classificadores automatizados desenvolvidos e operados a partir da plataforma Google Earth Engine.

Neste primeiro momento, os técnicos estão selecionando os alertas de desmatamento com áreas superiores a 100 hectares no Tocantins, conforme relata Renato Pires, gerente de Monitoramento e Gestão de Informação Ambiental e coordenador do Cimdea.“Baixamos esses Laudos da plataforma e fazemos toda a conferência de dados, inclusive para verificar se não houve autorização do Naturatins para cada alerta, posteriormente, após conferência minuciosa e ajustes necessários o laudo é validado”, disse.

Criação

Por meio de nota encaminhada à imprensa, o Naturatins relatou que a ideia de criação do MapBiomas nasceu durante seminário realizado ainda em 2015, em São Paulo, quando especialistas em sensoriamento remoto e mapeamento de vegetação se reuniram com a proposta de responder se seria possível produzir mapas anuais de cobertura e uso do solo para todo o Brasil, de forma barata, rápida e atualizada, capaz também de recuperar o histórico das últimas décadas.

Logo, após isso, os técnicos reunidos chegaram à conclusão que seria possível, uma vez que que houvesse capacidade de processamento sem precedentes e um alto grau de automatização do processo, além da participação de uma comunidade de especialistas em cada bioma e temas transversais.

A partir de então, foi estabelecido um Termo de Cooperação Técnica com o Google, para utilização dos dados do Google Earth Engine. Oficialmente, o projeto teve início em julho de 2015, com um treinamento da equipe do MapBiomas sobre o Google Earth Engine em Mountain View, Califórnia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *