fbpx

Paciente idoso que esteve internado por dois anos no HGP deixa a unidade

Foto: André Araújo/Governo do Tocantins

Por João Pedro Gomes

Uma história de superação, cuidado humanizado, atendimento especializado, além de muito carinho marcou a internação de um paciente de 65 anos no Hospital Geral de Palmas (HGP). O idoso deu entrada na unidade em estado grave, com traumatismo craniano, ainda em dezembro de 2019. Neste período, recebeu todos os cuidados da equipe multiprofissional. O paciente foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), em via pública em Palmas, sem identificação.

No dia 16 deste mês, o paciente deixou a unidade hospitalar para residir em uma Instituição de Longa Permanência para idosos, onde contará com todo suporte e cuidados necessários.

A coordenadora do Serviço Social do HGP, Cleide Noleto, enfatiza que “Contamos com uma equipe de assistentes sociais comprometida com os direitos dos pacientes, que precedeu imediatamente o processo para a identificação pessoal, em parceria com o Instituto de Identificação do Estado. Após a identificação, realizou-se a busca ativa dos familiares, que foram localizados em outro Estado e, diante da impossibilidade em receber suporte familiar, iniciou-se uma longa caminhada para assegurar condições de moradia  ao paciente”, afirmou.

A coordenadora explicou ainda que “a equipe do serviço social realizou os encaminhamentos e a articulação com o Ministério Público em conjunto com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), que culminou no encaminhamento do paciente para a instituição onde vai residir. A equipe, por meio dos mecanismos legais, viabilizou o acesso a direitos considerados fundamentais, tal como, o direito a um envelhecimento saudável. Muita satisfação para nós poder ter contribuído com o usuário neste período que ele esteve na unidade”, salientou.

Durante estes quase dois anos o paciente passou pela “Sala Vermelha”, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ala de internação, passou por exames e teve todo acolhimento necessário de equipes clínicas, de enfermagem, fisioterapeuta, neurologia, psicologia, serviço social e demais profissionais.

(Com informações da SES)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *