fbpx

Período para colheita de capim-dourado no Tocantins segue até o mês de novembro

Foto: Divulgação/Internet

Por Ivan Trindade


Segue vigente até o fim do mês de novembro, o período para colheita das hastes de capim-dourado (Syngonanthus nitens), na região do Jalapão. Iniciado no último dia 20 de setembro, o momento é anualmente esperado por aproximadamente 1,5 mil artesãos e extrativistas autorizados pelo Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins).

Uma vez que os campos de capim-dourado são extensos e longe, muitos coletores acampam no local durante o período de coleta e só retornam quando estão com a quantidade de hastes suficientes para trabalhar durante o ano, conforme relatou a supervisora da Área de Proteção Ambiental (APA) do Jalapão, Rejane Nunes. “Apesar do tamanho e da distância, nós percorremos essas áreas todos os anos, com apoio da equipe de fiscalização do Naturatins e dos comunitários do povoado Mumbuca”, comentou a profissional ao lembrar também que esse monitoramento é importante para garantir que não haja invasores (pessoas não autorizadas) colhendo as hastes, especialmente quando ainda não estão completamente maduras, antes da abertura da colheita oficial.

Oficialmente, a fiscalização acontece durante 15 dias, de forma intensa nos campos de capim-dourado, inclusive com remanejamento de agentes de fiscalização de Palmas. A medida é necessária para garantir que a coleta do capim-dourado seja feita pelas comunidades tradicionais, organizadas em associações e autorizadas pelo órgão ambiental, e que tiram do artesanato produzido a partir das hastes o sustento de suas famílias, como também para evitar possíveis incêndios ou queimadas ilegais cheguem até os campos de capim-dourado.

Outra regra que precisa ser observada pelos coletores do capim-dourado é que as hastes não podem sair da região in natura, apenas em forma de artesanato.

Capim-dourado

Apesar do nome, o capim-dourado não é um capim, pois não pertence à família das gramíneas. A haste dourada com uma pequena flor branca no topo é, na verdade, da família das sempre-vivas. Considerado uma das preciosidades do Tocantins, o capim-dourado brota em outros estados do Brasil, onde há incidência do bioma Cerrado: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal e Bahia.

O capim-dourado é a principal matéria-prima para a confecção de bolsas, bijuterias e objetos de decoração feitos por artesãos, especialmente quilombolas que residem na APA do Jalapão. A habilidade dos artesãos do povoado Mumbuca na produção de peças de capim-dourado fez o produto ganhar fama e encantar pessoas em todo o Brasil e também no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *