fbpx

Polícia Federal investiga estudante de medicina da UFT suspeito de ingressar na universidade fraudando sistema de cota para quilombolas

Imagem: Divulgação/Audiovisual UFT

Por João Pedro Gomes

Um homem está sendo investigado pela Polícia Federal por ser suspeito de uma possível fraude cometida por ele para entrar no curso de medicina da Universidade Federal do Tocantins. Ele teria apresentado uma declaração falsa de quilombola para ingressar na universidade pelo sistema de cotas. A operação está sendo chamada de Doutor Palmares. 

A investigação começou a ser feita no fim de 2019, mas foi nesta sexta-feira (18), que um mandado de busca e apreensão emitido pela Justiça Federal foi realizado pela PF em Palmas. O investigado é um membro de uma família envolvida com política no estado de Minas Gerais. 

Em meio às investigações, a Polícia Federal visitou o quilombo Gorotuba, em Catuti (MG), onde verificaram que a declaração apresentada pelo estudante era falsa. Além disso, polícia ainda investiga um possível exercício ilegal de medicina pelo rapaz, que supostamente estaria trabalhando em plantões como se já estivesse formado.

A PF estima que o prejuízo aos cofres públicos causado pelo crime é de até R$ 500 mil, que seria o custo médio de uma faculdade de medicina em uma instituição particular. A polícia ainda atenta para o fato de que a fraude resulta na exclusão social de membros de comunidades quilombolas que acabam perdendo a oportunidade de desenvolvimento social.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *