fbpx

Praia do Funil é interditada por 15 dias pela Prefeitura de Miracema após registros de aglomeração no local

Foto: Divulgação/Prefeitura de Miracema

Por João Pedro Gomes

A praia do Funil foi interditada pelo período de 15 dias em decorrência das aglomerações registradas durante os últimos dias, o que descumpre as normas estabelecidas pela prefeitura. A decisão foi feita pela gestão de Miracema do Tocantins, município da região central do estado, e divulgada no Diário Oficial da cidade na última terça-feira (06), porém,  proprietários do local afirmaram que ainda não foram notificados da sentença. 

A Prefeitura justificou a ação alegando que há imagens que comprovam aglomerações em, ao menos, três datas diferentes. Durante os três dias ocorreram aglomerações diversas no referido local, constatadas através de diversas filmagens e fotografias, além de inspeção in loco no local pelo coordenador da Vigilância Sanitária”, destaca. Em outro trecho do documento, é dito que “houve descumprimento também de Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado entre a empresa ora notificada, o Ministério Público do Estado do Tocantins e esta Prefeitura”.

Além do decreto, no site do município também há uma nota onde a gestão justifica que tem sido difícil fiscalizar a população em detrimento das condições de segurança. O post diz: “A Polícia Militar, que tem o poder de polícia ostensiva, não possui efetivo suficiente para que possa agir de forma mais enérgica, e isso dificulta as ações da fiscalização da vigilância sanitária, até por uma questão de segurança, já que os nossos fiscais têm sido vítimas inclusive de ameaças e tentativas de agressão, como já ocorreu”.

Dados do último ano do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que a cidade possui 17.936 habitantes. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde (SES), Miracema já contabiliza 1.912 casos confirmados da doença, sendo que 48 vieram a óbito; e de acordo com o Vacinômetro, 7.520 doses de vacinas contra a Covid-19 já foram aplicadas na cidade, sendo 5.334 da primeira dose e 2.186 da segunda; 

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *