fbpx

Produção de vacina AstraZeneca contra a Covid-19 deve atingir a meta acordada com o Governo Federal em Agosto

REUTERS/Henry Nicholls

Por João Pedro Gomes

A entrega das 100 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus, previstas no acordo do Governo Federal com a farmacêutica AstraZeneca, deve ocorrer no mês de agosto, e não em julho, como previsto anteriormente. O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz) informou em nota que o novo prazo não afetará o Plano Nacional de Imunizações (PNI). 

A Fiocruz também afirma que as vacinas continuarão sendo entregues de forma contínua até o fim do ano, pois mais de 70 milhões de doses foram contratadas até o fim do ano. Além disso, a produção dos primeiros lotes nacionais do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), material para produzir os imunizantes, está em andamento. Até o momento, o insumo está sendo enviado em lotes mensais ou quinzenais ao Brasil pelo laboratório chinês WuXi Biologics.  

Em nota, a Fiocruz explicou que “em razão das primeiras entregas terem ocorrido em março, pelas dificuldades iniciais do envio do insumo, e pela Fiocruz ter conseguido escalonar muito rapidamente a sua capacidade de produção, acima do calendário de envio de IFA previsto, o marco das 100 milhões de doses entregues deve ocorrer em agosto”.

A vacina Oxford/AstraZeneca tem sido a mais aplicada no Brasil para prevenir a Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, a Fiocruz já disponibilizou mais de 70 milhões de vacinas desde março deste ano, e as 50 milhões administradas equivalem a 46,4% do total de aplicações, enquanto a CoronaVac (40,8%), Pfizer (9,9%) e Janssen (2,9%).

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *