fbpx

Semus afirma que Palmas apresentou desaceleração de transmissão de coronavírus na última semana

Avenida JK comércio
Comércio em movimento da Avenida JK, em Palmas. Foto: Dynyme Hergbeth

Por Ivan Trindade


Uma queda de 28% no surgimento de novos casos de Covid-19 foi registrada na Capital, na semana dos dias 14 a 20 de março em relação à anterior. De acordo com a Semus, Secretaria Municipal de Saúde, houve 1.520 casos de Covid-19 na 11ª SE, 591 casos a menos que 10ª SE (2.111). 

Conforme a pasta, os números refletem a queda da taxa de contágio, que reduziu de 1,62 (10ª SE) para 1,16 na 11ª SE.  A taxa é o indicador que mostra a proporção de transmissões possíveis para cada novo caso da doença na Capital. Em números absolutos, cada grupo de cem novos casos de Covid-19 na Capital passou a transmitir o vírus a 116 pessoas e não mais a 162 pessoas, como na semana anterior (a 10ª SE compreende o período entre 07 a 13 de março de 2021). 

Apesar de ser um dado importante, o indicador ainda não é satisfatório, uma vez que, de acordo com o Centro de Operações de Emergências em Saúde, a pandemia só estará controlada com a taxa de contágio abaixo de 1,0, segundo parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Daniel Borini, presidente do Centro afirmou que a avaliação é de que o isolamento social, estimulado pelas medidas restritivas vigentes desde o dia 06 de março, vêm surtindo efeito. “O que não significa que saímos do alerta. O cenário não melhorou. Este indicador nos mostra que a pandemia não manteve a mesma aceleração das semanas anteriores. Nossas unidades e os hospitais continuam sob pressão”, disse.

A respeito de uma data estipulada para um possível cenário controlado, o COE Palmas afirmou que ainda não há uma previsão exata. Graças à adesão da população e dos setores econômicos, é possível ver o início de uma desaceleração das transmissões, no entanto, o sistema de saúde local ainda opera sob intensa pressão.

“Os hospitais e nossas UPAs estão operando com sua capacidade máxima e isso não vai melhorar de hoje para amanhã. Os casos graves demandam internação por semanas. O que de concreto necessitamos agora é que as medidas de distanciamento social e de autocuidado sejam mantidas pela população para que menos casos novos surjam. Com menos contaminações, consequentemente, menos casos graves virão precisar de leitos. Só assim poderemos vislumbrar um cenário melhor para as próximas semanas”, afirmou o presidente do COE Palmas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *