fbpx

Simtromet opta por suspender a greve dos motoristas por 30 dias para mais negociações com os trabalhadores do transporte público

Foto: Divulgação

Por João Pedro Gomes

Após uma audiência telepresencial realizada no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10) nesta segunda-feira, 27, com a presença de advogados, do procurador do trabalho Leomar Daroncho, do procurador do município de Palmas, Hitallo Ricardo Panato Passos, e de representantes sindicais, o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transportes Rodoviários e Operadores de Máquinas do Estado do Tocantins (Simtromet) optou pela suspensão da greve de motoristas do transporte público de Palmas por trinta dias a partir desta terça-feira, 28.

Anunciada desde a última semana, a greve dos trabalhadores de transporte coletivo exigia melhores condições de trabalho, visto que, segundo os motoristas, eles  saem de casa de madrugada, trabalham a manhã inteira, aguardam cinco horas no período da tarde e depois voltam ao expediente à noite, no horário de pico. Além disso, o reajuste salarial que deveria ter acontecido no último ano não ocorreu, o que acarretou para que, nesta segunda-feira, 27, apenas 50% da frota de ônibus funcionasse. 

Uma nova negociação entre as partes envolvidas deve ocorrer nesta quinta-feira, 30. O maior choque de interesses ocorre por conta do tempo de intervalo da intrajornada, que atualmente é de 5 horas e 40 minutos, e o Simtromet pede para que seja reduzido a duas horas. O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Seturb) afirma que a adoção desta medida atrapalharia a organização de escalas e prejudicaria o atendimento à população.

Além de reivindicar intervalo reduzido na intrajornada, o Simtromet também exige que haja um reajuste salarial de 10.22%, com o compromisso da cidade de Palmas no repasse. Rodoviários e empregadores se comprometeram a examinar as propostas feitas pelos profissionais e do Ministério do Trabalho, inclusive as cláusulas econômicas. Caso não haja um acordo, a greve deverá continuar.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *