fbpx

Suspeito de assassinar jovem em motel na madrugada desta segunda-feira (20) é preso em Porto Nacional

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Por João Pedro Gomes

A Polícia Civil divulgou que o assassino de Marcela da Silva Soares, torturada e morta em um motel na madrugada desta segunda-feira (20), foi preso em Porto Nacional. O homem tem 21 anos de idade, é ex-namorado da vítima e não teve o nome divulgado. A Secretaria de Segurança Pública divulgou que o homem já responde por outro homicídio.

Ele deve ser indiciado por feminicídio. Segundo o delegado responsável pelo caso, Guido Camilo, o suspeito confessou o crime. O crime aconteceu em Palmas, mas o homem estava escondido na casa de parentes em Porto Nacional, onde foi detido. Ele estava com o celular da vítima e, segundo a SSP, não teve reação alguma a ser preso.

O crime

Marcela da Silva Soares. Divulgação.

Marcela da Silva Soares foi encontrada morta em um motel durante a madrugada desta segunda-feira (20), em Palmas. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), onde foi identificado. Ela tinha apenas 19 anos. O cadáver tinha marcas parecidas com queimaduras nas pernas e na barriga, indícios de que ela foi torturada antes de ser assassinada.

O crime ocorreu em um estabelecimento na Marginal Oeste da TO-050, no Setor Sônia Regina. De acordo com testemunhas, uma discussão podia ser ouvida vindo do apartamento número 103, o qual ela estava hospedada, até que repentinamente parou, o que chamou a atenção dos colaboradores. 

Ao revistarem o local, os funcionários do motel encontraram o cadáver da mulher. O acompanhante e suspeito fugiu do local sem pagar e até agora ninguém foi preso.

A Polícia Militar ainda informou que a vítima não poussía documentos na hora do assassinato e o corpo só veio a ser identificado no IML. A possível causa da morte foi estrangulamento. A Divisão de Homicídios de Palmas está tentando resolver o caso e encontrar o suspeito.

O suspeito do assassinato foi levado inicialmente para a Central de Flagrantes de Porto Nacional, todavia, após isso, foi transferido para um presídio não divulgado.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *