fbpx

Tocantins distribuiu mais de 25 mil comprimidos de cloroquina durante o último ano para tratamento de Covid-19

AFP PHOTO / AGIF / MATEUS BONOMI – NO MARKETING – NO ADVERTISING CAMPAIGNS

Por João Pedro Gomes

Mais de 25 mil comprimidos de cloroquina — medicamento comprovadamente ineficaz contra a Covid-19 — foram distribuídos aos municípios tocantinenses entre maio e setembro de 2020 pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), que alega estar seguindo “uma sugestão do Ministério da Saúde como terapia adjuvante no tratamento de pacientes internados com infecção pelo novo coronavírus, considerando as diretrizes para diagnóstico e tratamento da Covid-19 publicadas pelo MS”. 

A informação é da própria SES, que emitiu nota em resposta a um ofício da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado, afirmando que recebeu do Ministério de Saúde mais de 26 mil comprimidos de cloroquina, sendo que destes, 25.190 foram enviados às prefeituras.

O documento apresentado pela secretaria à CPI mostra que, mesmo eficácia comprovada contra o coronavírus, o medicamento foi enviado pelo estado aos hospitais públicos. “Os comprimidos de Cloroquina 150 mg encaminhados pelo MS, no início da pandemia, foram distribuídos por meio da Assistência Farmacêutica Estadual, para os serviços que compõem a Rede de Média e Alta Complexidade do Estado do Tocantins”.

O documento é datado do dia 15 de junho e é assinado por três profissionais da SES: a gerente técnica e científica, Meiry Barros Araújo; a diretora da Assistência Farmacêutica, Kédma Maria Carneiro e o superintendente de aquisição e estratégias de logística, Afonso Piva de Santana.

Confira a nota emitida pela SES:

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclarece que, os comprimidos de cloroquina distribuídos aos municípios tocantinenses, foram encaminhados ao Estado pelo Ministério da Saúde (MS), a SES não comprou os medicamentos.

Os comprimidos de Cloroquina 150 mg encaminhados pelo MS, no início da pandemia, foram distribuídos por meio da Assistência Farmacêutica Estadual, para os serviços que compõem a Rede de Média e Alta Complexidade do Estado do Tocantins (hospitais regionais). Os medicamentos recebidos tinham o intuito de atender uma sugestão do Ministério da Saúde como terapia adjuvante no tratamento de pacientes internados com infecção pelo novo Coronavírus, considerando as diretrizes para diagnóstico e tratamento da Covid-19 publicadas pelo MS.

A SES explica que, a partir do mês de outubro de 2020, as unidades hospitalares sob gestão do Estado interromperam a solicitação do medicamento na Assistência Farmacêutica Estadual.

A Secretaria de Estado da Saúde explica ainda que iniciou a distribuição do medicamento a nível ambulatorial, para secretarias municipais de saúde, após a pactuação dos municípios na Comissão Intergestores Bipartite (CIB). A distribuição às secretarias considerou às orientações do MS para manuseio medicamento precoce para pacientes com diagnóstico da Covid-19. Ressaltamos que, os comprimidos encaminhados foram solicitados pelas gestões municipais, conforme acordo firmado na CIB e as recomendações do MS.

Ressaltamos que a SES segue as orientações do MS para andamento às ações de saúde aos tocantinenses. A Pasta informa que já encaminhou resposta a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, sobre o uso da cloroquina no Estado, e está à disposição para maiores esclarecimentos.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *