fbpx

Todo atendimento pediátrico será realizado em ala própria no HGP a partir desta sexta-feira (23); Hospital Infantil foi desativado

Imagem: Tharson Lopes/Divulgação

Por João Pedro Gomes

Foi divulgado pelo Governo do Tocantins que a partir desta sexta-feira (23), a transferência do Hospital Infantil para a nova ala pediátrica no Hospital Geral de Palmas será finalizada, possibilitando assim a realização desses atendimentos no local. O local já conta com alguns utensílios, móveis e equipamentos, sendo que nesta quarta-feira (21), cinco crianças já estavam internadas na enfermaria e 12 no pronto socorro. 

De acordo com o governo, o novo local contará com 48 leitos de internação geral, 20 leitos de UTI, um leito de estabilização, três leitos na sala vermelha, cinco na sala amarela, um de isolamento e 16 de observação. A ordem de acesso ao serviço será a seguinte: pacientes que podem ser atendidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidade de Pronto Atendimento (UPA), ou de forma direta na área pediátrica do Pronto Socorro do HGP. 

A coordenadora de Enfermagem da ala pediátrica, Núbia Teles, explicou como funciona o serviço: “Nos casos em que a criança apresente um quadro estável, a ficha será realizada na recepção do pronto socorro, onde passará na classificação de risco, logo em seguida para atendimento médico no consultório. Nos quadros graves de urgência e emergência, encaminharemos direto para sala de estabilização onde será avaliado, caso não ocorra evolução, irá para sala vermelha, amarela, verde ou Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”.

Ainda segundo o Governo do Estado, o Pronto Socorro contará com sala de procedimento salvadores, sala de curativos, sala de higienização, três consultórios, sala de aplicação de medicamentos, sala de utilidades, sala de radiografia com laudo, expurgo, sala de gesso e fraturas, repouso, banheiros, copa e farmácia satélite. Além disso, a unidade irá dispor de profissionais de todas as especialidades do HGP, de exames clínicos, laboratoriais e Imaginologia, para facilitar a assistência aos pacientes.

Revisão por Ivan Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *